sexta-feira, dezembro 30, 2005

TUDO DE BOM PARA 2006

Por mais que te falem em tristezas....
... prossegue sorrindo!
Por mais que te demonstrem rancor...
...prossegue perdoando!
Por mais que te tragam decepções...
...prossegue confiando!

Por mais que plantem o mal....
... prossegue semeando o bem!
Por mais que te mintam...
...prossegue na verdade!
Por mais que te falem em ingratidão...
...prossegue sorrindo ....
!!!! Que 2006 seja o ano de concretização de todos os vossos sonhos !!!

quinta-feira, dezembro 29, 2005

Afinal isto não está assim tão mau. Tudo aumenta no reino, até as graças de mau gosto.


Governo apresentou a primeira e última proposta (exemplar diálogo socratiano) de aumento salarial:
1,5 %
Promessa; "...este ano o aumento real dos salários será igual à inflação", Sócrates dixit.
Mais uma vez , o governo, defrauda a expectativa dos portugueses.
Explicação ministerial: "O governo não pode garantir emprego e ao mesmo tempo melhoria de salários" (Oh teixeirinha, não me faças rir que estou com cieiro)
Com competências destas percebe-se bem porque é que :
o desemprego aumenta;
os salários crescem negativamente;
Portugal está cada vez mais na cauda da Europa dos 25;
As taxas, impostos, preços, transportes, água, luz, gaz, electricidade, juros, combustíveis aumentam.
Farmacêuticos, funcionários públicos, judiciais, hospitalares, magistrados, forças de segurança, militares, a GNR, professores, médicos, enfermeiros... estão indignados...
Tem razão, senhor ministro, com este governo tudo aumenta, aumenta a indignação e até os salários -negativamente. Tanto barulho por tão pouca coisa.
E 2008 nunca mais chega.
PS. Neste momento até o PR já está arrependido por ter demitido PSL.

quarta-feira, dezembro 28, 2005

No Dia de São Nunca à Tarde


E a terceira, no dia de São Nunca à Tarde.
Suponho que Lusa Atenas se referia a este excelente cartaz do avô.
E nós, pimba!
Salazar esteve agarrado ao poder 40 anos. Era um ditador.
O músico pimba tenta desesperadamente regressar ao poder aos 81 anos. É um republicano laico e socialista.
Bem diz Alegre: "Para quê se ele diz que o PR não pode fazer nada!"
Só para alimentar a vaidade e os interesses egoistas, é muito pouco.
O "ouvidor" está fresco que nem uma alface. Veja o video aqui

terça-feira, dezembro 27, 2005

Não faz cá falta nenhuma

É por isso que não faz cá falta nenhuma.
A criatura traz azar à gente

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Mário Larachas (1)

Este candidato é incapaz de cumprir regras simples do debate... tornou-se no terceiro entrevistador.
Não chegou a perceber que estava ali para debater as ideias que tem (?) para PR.
Cavaco tem uma outra cultura e um outro comportamento de responsabilidade, exigência e rigor.
Para quem quer exercer o Poder Moderador (2) dizer que Cavaco
"é um razoável economista";
"Eu sei o que me diziam dele quando falava nos Conselhos Europeus";
"Eu também dei aulas na Universidade de Coimbra";(3)
" As propostas dele são banalidades";
"Não tem conversa";
Por esta amostra percebemos o tipo de moderação que iria fazer. Sim aos amigos; enxovalhos para os adversários.
"Eu sei exercer o poder moderador" Vê-se.
A dada altura chegou a dizer (4):
"Não precisamos nada dos dois" (moderadores) dirigia-se aos entrevistadores.
É claramente uma pessoa do passado e com uma visão absolutista das coisas: Governa, aplica a Justiça e cria moeda.
Quanto ao deselegante "ele" e "Dr." referindo-se ao Professor Cavaco Silva só posso dizer que nem o Marinho Paposseco, rapaz semi-analfabeto que, no Verão, vende bolinhas de berlim na Ilha de Tavira utilizaria semelhante pronome para se dirigir a um simples veraneante.

(1) -- Já foi. Agora é uma criatura crispada, deselegante, grosseira, provocadora... realmente " não tem (outra) conversa.
(2) -- Para saber mais consultar Carta Constitucional, séc XIX
(3) -- Seria bom saber como é que um aluno medíocre (licenciou-se com 10) pôde chegar à cátedra na vetusta Universidade.
(4) -- Tal como disse ao senhor polícia "Saia daqui, não precisamos de si para nada"

Para quem tiver curiosidade de ler um pouco mais"O Velho da Montanha" aqui fica o link "Choque de Titans"

terça-feira, dezembro 20, 2005

De cujus

Sócrates dixit
"... é um encanto ver a campanha de Mário Soares..."

-Por que é que estás a rir? E tu a dar-lhe... Pára, ao menos um instantinho, de rir.
Olha, se continuas, não transcrevo mais nada.
Portem-se bem, gaita. Já são gargalhadas a mais!!!
Parece impossível. Não se esqueçam que estamos no Natal, tempo propício para a compreensão e tolerância.

Não páram de rir.... atão vou-me embora e vou já.
Inté!

segunda-feira, dezembro 19, 2005

Soares sempre à frente

O presidente do Irão voltou a negar o Holocausto.
Os protestos dos dirigentes ocidentais surgiram em coro.
Mário Soares, por exemplo, fez esta declaração:
"Atenção, sr. Ahmadinejad. Hoje nega o Holocausto, amanhã está a dizer que o Pai Natal não existe. E isso seria inadmissível."

sábado, dezembro 17, 2005

Bom Fim de Semana

By... by...
Vou com a minha "marrequinha" ver se desencalhamos o cargueiro no Faial.(*)
A viagem é longa não podemos perder tempo que a "marrequinha" já me está olhando.

(*) - Entretanto espreitem aqui, para verem este fenómeno semântico.
As manigâncias da Manuela Ferreira Leite e do Bagão Felix viraram varinhas mágicas no Costa.

O candidato mole e o candidato surpresa

Soares

Preocupações de Soares
O cronómetro, a cadeira, a colocação da câmara... até com o ar dos moderadores, dando-lhes graxa ... "têm ar ministeriável"

No começo
Eu já estou seguro que vou passar à 2ª volta. Registe-se a certeza
Não me deixa falar (para o moderador). Quer falar do que quer, não do que lhe perguntam.

Não devo adiantar o que penso sobre o desemprego, a politica de privatizações, nomeadamente as águas e a energia, o aeroporto, o TGV... O habilidoso nunca se comprometeu e pensa que os telespectares são uns papalvos.

Depois é o máximo quando afirma:"Nunca fiz qualquer apelo à desistência de ninguém" Coelho, Vitorino e Sócrates sorriram com mais + esta "habilidade"
"Como candidato a PR não me devo meter na vida dos partidos" Querendo dar a ideia de estar incomodado com o apoio do PS mesmo com Coelho a pedir desesperadamnete a desistência dos candidatos da esquerda.
E, claro, só se pode meter com o PSD e CDS. Aqui não há limites. A asneira é livre.

Os empresários da Comissão de Honra de Sócrates também são "a favor da restrição aos direitos laborais".
Não há problema os meus são bonzinhos e os do Cavaco é que são uns malandros.

Quando Cavaco se demarca do PSD e do CDS é um "homem contra os partidos".
Quando Soares faz a mesmíssima coisa com o PS e Governo é o quê? Simplesmente mentiroso e hipócrita? Mas no começo sentia grande honra nesse apoio.

Cavaco está fora do PSD há uns 10 anos. Só mostra que não tem consideração nenhuma sobre a vida partidária.
Soares está fora há 20, meteu o socialismo na gaveta, entregou o cartão do PS, mostra o quê?

Soares é um falso habilidoso da linguagem;
Diz que não fala mais de Cavaco e volta sempre à carga;
Diz que não fala do passado e está a falar sempre do seu (triste) passado;
Diz que defende o diálogo e repetida e acintosamente volta as costas aos jornalistas;
Diz que não fala dos grandes problemas nacionais e insinua que Cavaco se mantem em silêncio.

Aqui bem se aplica a frase de Jerónimo de Sousa: "A linguagem tem a virtude de esconder o pensamento" mas, digo eu, tem o mérito de pôr a nu a arrogância e prepotência deste candidato.
O tom paternalista e arrogante já cansa.
Teve sorte porque Louçã seguiu a estratégia da delicadeza.

LOUÇÃ

Com o seu sorriso enigmático e desdenhoso conseguiu encostar Soares em diferentes circunstâncias:
- Indiferente aos elogios babosos de Soares à sua pessoa;
- Quando tranquilamente lhe disse mais ou menos isto ...presumir que alguém já passou à 2ª volta quando é unicamente dono do seu voto é muito ousado.
- Quando referiu o caso do jornalista angolano preso;
- Aquela teoria do "Menú" foi muito bem achada.

Soares, apesar da idade, ainda está convencido que pode andar à chuva sem se molhar
Louçã pareceu querer poupá-lo e foi muito menos acutilante do que é habitual.
Ele lá sabe por quê.

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Para Memória sem ser futura

"Alguns de vocês já nem se lembram dos salários em atraso em 1984 e 1985, da crise em que se encontrava o distrito de Setúbal e da inflação na ordem dos 30 a 40 por cento. Foram esses os problemas que encontrei quando cheguei à governação do País” Cavaco Silva

"No Super-Mário, onde mais haveria de ser, o Miguel Cabrita (re)escreve que o crescimento português durante os anos 1985-1995 sucedeu apesar de (e não devido a) Cavaco. Mas como efectivamente crescíamos e nos aproximávamos dos níveis de riqueza da UE a um ritmo nunca mais visto, o que terá então existido de diferente? Diz-nos MC:
"houve, além de uma conjuntura económica única, um influxo, sem precedentes nem réplicas, de fundos europeus
".
Não sei o que MC entende por conjuntura económica, mas se tomarmos as taxas de crescimento do PIB como um indicador relevante para o caso, e se aceitarmos os países G7 como um bom agregado, temos então a conjuntura económica assim:
Conjuntura -Média de crescimento do somatório do PIB dos países G7:
1985-95 (Cavaco): 3,07%
1995-2002 (Guterres): 2,82%

Tanto barulho por 0,25%? (Vamos às duas casa decimais, que é moda entre socialistas)

Fundos Europeus*:(valores aproximados)
1º pacote (1989-1993): 9.400 M€
2º pacote (1994-1999): 17.600 M€
3º pacote (2000-2006): 22.800 M€

Por períodos de governação :
Cavaco: 12.300 M€
Guterres : 22.795 M€
Barroso/Santana: 9.750 M€
Sócrates(até 2006):5.000 M€

Médias por ano:
Cavaco: 1.230 M€
Guterres: 3.800 M€
Barroso/Santana: 3.270
Sócrates (22 meses): 2.275 M€

Tenho portanto alguma dificuldade em perceber para quem está a escrever MC quando pergunta «E como é possível não ter aproveitado mais e melhor esse período irrepetível, desperdiçando tantos e tantos recursos?»
E quanto a conjunturas económicas, gostava de saber que espécie de conjuntura é, em 1985, herdar um país, entre outras coisas, com aquela dívida externa, com aquela taxa de inflação, com aquela taxa de juro, com aquela bela economia fortemente ruralizada, estatizada, nacionalizada. Com aquela bela moeda ao vento chamada escudo. Posso trocar pelos 0,25% lá de cima?
A moral desta história é a de sempre, a de que nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde vai. E não houve nem conjuntura nem fundos que travassem a desaceleração do nosso ritmo de convergência face à UE a partir de 1994 e de divergência efectiva desde 2002.
E se é verdade que os fundos e a conjuntura são factores positivos, a realidade torna-se especialmente cruel quando nos apercebemos que estes factores continuaram altamente positivos enquanto assistíamos ao agravar da situação portuguesa. O maior problema político e económico português tem causas e soluções maioritariamente internas. E, face a elas, o meu voto vai direitinho para Cavaco.

*(Obrigado ao leitor LV pelos dados discriminados dos fundos europeus e ao Pedro Crespo pelos dados em bruto do G7)

Manuel Pinheiro no Pulo do Lobo (in Carvalhadas)
(2Dez05)

quinta-feira, dezembro 15, 2005

ALEGRE vs SOARES

Questão de sono
Alegre vai dormir descansado
Soares vai ter pesadelos, pelos vistos
Alegre, Soares e Cavaco
Cavaco está presente no debate o que revela bem a mediocridade e a inferioridade dos candidatos socialistas
Atropelo às regras
A dada altura o "espertalhão" do Soares começa a fazer perguntas a Alegre, só visto!!!
Questão de águas
Alegre mete água e vai dissolver a Assembleia da República.
Soares aproveita para armar em macaco sabichão
Ota
Soares ainda não estudou os dossiers. Admiração seria o contrário. Tenho a impressão que quando chegar a casa vai levar com o chinelo.
Alta Velocidade
Alegre acha bem a ligação a Madrid/Europa e admira-se com os custos da ligação Lisboa-Porto. Embora não se saiba por onde vai passar a linha já se sabem os custos. Pudera é tudo aos mil milhões.(isto digo eu)
Economia
Tinha que ser; Soares é contra os malvados dos empresários
Relógio
O queixinhas do Soares reclama do sacana do relógio que sprinta contra ele
Forças Armadas
Soares acha que só devem ter funções humanitárias. Portanto perfilem-se os Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António As tropas da NATO não podem fazer a guerra!!! Isto deve ligar-se ao diálogo com os terroristas que o MS defende.
Os finalmentes
Alegre fala para as meninas e fala bem... e nós, pimba!
Mário Soares diz coisas que todos gostaríamos de esquecer... "fui presidente durante 10 anos, blá... blá... blá..."
Mistério
Qual dos dois candidatos estava com o pigarro na garganta em jeitos de ... ?!?!?!

quarta-feira, dezembro 14, 2005

A mim me gustam los xoxialistas

Só para dar 4 exemplos
- 10 estádios de futebol (Guterres)
- Nova refinaria de Sines
- Ota
- TGV (Lx-Porto * Lx-Madrid)
São muitos biliões de Euros (esta de falar agora em mil milhões é para não assustar o Zé Pagante).
E estes são os mesmos que dizem que o país está de tanga. Despedem trabalhadores, aumentam os impostos, as taxas, o desemprego, a idade da reforma....
Comem carapau e arrotam a pescada.
São só biliões. Megalómanos.
Ainda acreditam no Pai Natal só mudaram de animal para trazer os presentes!

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Ontem não - Hoje sim

A seara ondula conforme a direcção do vento

... 20 anos depois ...
Reposição do filme - A Bofetada da Marinha Grande -
Começa por aqui
Ontem não
Continua ali
Hoje sim

sexta-feira, dezembro 09, 2005

BOM FIM DE SEMANA

É mesmo para descansar!!!
Por favor não façam barulho
O radical cria as opiniões.
Quando elas estão antiquadas, o conservador adopta-as.
Mark Twain

O Ouvidor


Debate Jerónimo/Soares
Diz o "contador":
"...falar mal dos políticos tem um cariz marcadamente reaccionário".
Mas alguém fala mais mal e com mais desprezo dos políticos que o "ouvidor"?
Há por aí algum político mais presunçoso que este "contador" que na sua petulância afirma que se candidatou para salvar o país?
Não se lhe conhece nenhuma competência para além da sega-rega própria do vendedor de cobertores de feira.
Quando se aprofunda a conversa só saem disparates como, e só para dar 1 exemplo, "todos os portugueses têm direito a casa própria, segundo a constituição"!!!
É esta a noção e a interpretação que faz da Constituição... se dessem mais corda ao "contador", dentro em pouco estaria a dizer que os portugueses. segundo a Constituição, tinham direito a um hospital, a uma escola, etc.
Mais que "ouvidor" esta alma deveria (se ainda fosse a tempo) ser um estudioso para ter algum crédito como "contador".
Percebe-se que nunca tenha passado do dez na sua época de estudos e tivesse levado 12 anos para fazer dois cursos de 3+5 anos.
Alguém viu um debate mais xoxo e mais mole que este?
Foi um debate calculista a pensar na 2ª volta das eleições. Só que ambos estão profundamente errados. A 2ª volta, a haver, será com Manuel Alegre!!!
Foi bonito de ver o tratamento dado a Jerónimo: "o meu amigo" Os comunistas, há 20 anos engoliram sapos e votaram de olhos fechados.
Agora o "ouvidor" está a prepará-los para também irem votar de nariz tapado.

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Soares pediu uma bengala ao Pai Natal

Está dificil de entender.
Nem no octagésimo primeiro aniversário do candidato, e apesar da época natalícia, o governo apareceu, ao menos, a cumprimentar o geronte.
Mas o Pai Natal vai providenciar uma prenda... não vá ele desistir já.
Ho ! Ho ! Ho !
Condição sine qua non - fazer uma peixeirada no tempo de antena Cavaco/Soares
Para saber mais vá por aqui

quarta-feira, dezembro 07, 2005

Entra duro e sai....

Soares diz que vai entrar duro com Cavaco...
Tá certo.
Entra duro, sai murcho e a 22 de Janeiro fica pendurado ao fumeiro!
Ainda bem que o fala barato não se esqueceu que a virgindade é coisa do passado... a graçola vai assentar-lhe que nem uma luva.

quinta-feira, dezembro 01, 2005

BOM FIM DE SEMANA


Este Marrequinho está mesmo grande vádio. Aproveita a Restauração para dar mais uma volta. Desta vez mais breve.
Quá... quá... quá... até quarta-feira
Marrequinhas, portem-se bem. Não gosto de guerras na capoeira !!!

1º de Dezembro

No dia 1 de Dezembro de 1640, os Portugueses restauraram a sua independência.
Ao contrário daquilo que o monarca prometeu nas cortes de Tomar de 1580, o desrespeito dos privilégios nacionais vinha-se agravando.
Os impostos aumentavam; a população empobrecia; os burgueses ficavam afectados nos seus interesses comerciais; a nobreza estava preocupada com a perda dos seus postos e rendimentos; e o Império Português era ameaçado por Ingleses e Holandeses perante o desinteresse dos governadores.
Os Filipes governavam Portugal despoticamente e sem cuidarem de saber dos interesses do povo.
Portugal estava também envolvido nas controvérsias européias...
In Wikipédia

A Patinha Marreka